Aikido Brasil > Morihei Ueshiba > Parte 2


Blog Aikido Brasil


Morihei Ueshiba (O'Sensei) - Parte 2

A relação entre a Rússia e o Japão estava muito ruim, então o jovem Morihei Ueshiba decidiu alistar-se no exército para servir ao seu país. Infelizmente, Morihei media apenas 1,50m e estava um pouco abaixo da altura exigida. Extremamente determinado, ele ficou treinando sozinho durante vários meses nas montanhas, e até pendurava-se em árvores para aumentar seu tamanho. Alistou-se novamente como reservista e depois foi convocado. A incansável energia do jovem chamou a atenção dos superiores e ele foi promovido a sargento. No início, não foi enviado para a linha de batalha, pois seus conhecimentos eram valiosos e era usado para treinar os soldados.


Após a conclusão da guerra Russo-Japonesa em 1905, muitos superiores de Morihei recomendaram à ele uma carreira militar que foi rejeitada por ele. Morihei retornou à Tanabe como civil em 1906. Durante esses 4 anos no exército, Morihei melhorou sua condição física e conseguiu seu primeiro Menkyo (licença para dar aulas de artes marciais).


Retornado para o âmbito familiar Morihei dedicou-se a agricultura, mas continuava inquieto. Em 1911, ocorreu o nascimento de sua primeira filha, Matsuko, que fez com que sua disposição melhorasse. Nesta fase, o governo japonês recrutou voluntários para colonizarem Hokkaido. Morihei organizou um grupo de agricultores e pescadores para realizar este grande desafio.


Em 1915, Morihei Ueshiba conheceu Sokaku Takeda na ilha de Hokkaido. Embora muito forte e ágil, Morihei não era páreo para o mestre do Daito-ryu. Imediatamente Morihei increveu-se por um mês para treinar, e assim o acompanhou por 4 anos. Em 1917, nasceu Takemori, o segundo filho de Morihei.


Morihei Ueshiba
Morihei Ueshiba aos 37 anos

Em 1919, chegaram notícias que seu pai estava muito doente com seus 76 anos de idade. No caminho de volta para casa em Hokkaido, Ueshiba tomou conhecimento dos poderes curativos de um extraordinário líder religioso da Omoto-kyo chamado Onisaburo Deguchi. Morihei decidiu então parar em Ayabe, centro da nova religião Omoto para orar pelo seu pai.


Quando Morihei finalmente chegou à Tanabe, ficou sabendo que seu pai já havia falecido. Contaram-lhe que suas últimas palavras para Morihei foram: "Não deixe nada prendê-lo - viva do jeito que quiser."


Na primavera de 1920, Morihei, sua esposa e três filhos mudaram-se para Ayabe. A abertura de seu dojo em 1920 foi a única alegria de Morihei no primeiro ano em Ayabe, pois neste mesmo ano seus dois filhos, Takemori (com 3 anos) e Kuniharu (6 meses), faleceram após uma doença num intervalo de 3 semanas. Em 1921, nasce Kisshomaru Ueshiba.


Morihei Ueshiba - Parte 3 >>>

Apoio:

Aikido - Instituto União


Arte da Paz


Anuncie


Propaganda





Aikido Brasil | Política de Privacidade